Antonio Stradivari, Cremona, c. 1728, o 'von Beckerath'

 

Rotulado "Antonius Stradiuarius Cremonensis / Faciebat Anno 1720".
Costas: um pedaço de bordo com uma leve ondulação média.
Acima: de grão médio no meio, alargando-se para os flancos.
Caracol: semelhante.
Costelas: semelhantes.
Verniz: de cor castanho-avermelhada sobre fundo castanho-amarelado.
Comprimento das costas: 36,0 cm
Lutas superiores: 16,9 cm
Lutas médias: 11,55 cm
Lutas inferiores: 8,25"

 

Origem:

 

  • Rudolph von Beckerath (Rudolph era um amigo próximo do compositor Johannes Brahms, que também tocava este belo violino)
  • vendido em 1926 por W. E. Hill & Sons
  • propriedade de Bram Eldering até 1928
  • 1936 adquirido pelo Dr. Fischer vendido em
  • 1956 pela Hamma & Co.
  • de 1956 a 2015 de propriedade da família Mayer-Schiering
  • Vendido em 2015 através da Tarisio Private Sales
  • propriedade anônima desde 2015
     

Certificados e Documentos:
 

  • Machold Rare Violins, Ltd, Viena (2004) X-102.
  • Hamma & Co., Stuttgart (1956)
  • W. E. Hill & Sons, Londres (1936): observou que o rótulo foi adulterado e que a data correta é 1728 ou 1729.
  • Prof. W. von Beckerath (1935) Carta a Emil Herrmann confirmando que o violino foi comprado pelo pai de Willy von Beckerath do Barão von der Leyen em 1863 ou 1864 e vendido novamente em 1915.
  • Philipp Hammig, Berlim (1934)
  • Relatório de Dendrocronologia: John C. Topham, Surrey datando o anel de árvore mais jovem em 1692.


Referências:
 

  • Old Master Violins: Volume III e IV, The Cremonese School / Antonius Stradivarius, Association of Swiss Master Violin Makers, Editor Edwin Bochinsky, Frankfurt am Main (ilustrado)
  • Journal of the Violin Society of America, Vol. XIII, No. 1, Roger Hargrave, The Queens College Press, Flushing, NY (ilustrado)
  • Fabricantes de violino italianos (1964), Karel Jalovec, Paul Hamlyn, Londres, 1964
  • Fabricantes de violinos italianos (1957), Karel Jalovec, Artia, Praga, 1957 (ilustrado)
  • Master of Italian Violin Making (8ª Edição), Walter Hamma, Florian Noetzel Verlag, Wilhelmshaven (ilustrado)
  • Iconografia de violino de Antonio Stradivari 1644-1737, Herbert K. Goodkind, Larchmont, NY (ilustrado)

Fonte: tarisio.com

Bildschirmfoto 2022-02-03 um 18.41.49.png
Bildschirmfoto 2022-02-03 um 18.42.03.png
Bildschirmfoto 2022-02-03 um 18.42.21.png
Bildschirmfoto 2022-02-03 um 18.42.48.png
Bildschirmfoto 2022-02-03 um 18.43.00.png
Bildschirmfoto 2022-02-03 um 18.43.10.png
Bildschirmfoto 2022-02-03 um 18.43.53.png
Bildschirmfoto 2022-02-03 um 18.44.05.png
Bildschirmfoto 2022-02-03 um 18.44.21.png
Bildschirmfoto 2022-02-03 um 18.44.33.png
Bildschirmfoto 2022-02-03 um 18.44.46.png

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

Um dia um parente recebeu esta foto. Ela mostra um traineira com o nome "von Beckerath". O parente não tinha idéia de que parente se tratava.  Investigações recentes apontaram os seguintes resultados.
 

Fabricada por: Schichau Seebeckwerft Bremerhaven
Ano : 1953.
Por ordem de: Cranzer Fischdampfer AG, Hamburgo
Comprimento: 43,79 m, largura: 8,00 m,  calado: 4,75 m, 400 toneladas de arqueação bruta.


Muito provavelmente o nome do navio foi dado em homenagem a um acionista importante, como foi dito por um dos últimos membros do conselho. Hoje sabemos que este acionista foi Oskar von Beckerath.


Em 1962, no curso do declínio da industria  de pesca de  arenque na Alemanha, o navio foi desmontado, após 9 anos de serviços.


Fonte: Schichau Seebeckwerft , lista de números de produtos (22) a partir http://werften.fishtown.de

web_Fischdampfer.jpg

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Em 18 de julho de 1847, o navio “ Herman  von Beckerath “ 580 toneladas, sob o comando do Cap. Kahle Bremen com deixou o porto com 290 passageiros com destino ao Rio de Janeiro, Brasil e Port Adelaide, Austrália, onde chegou com segurança em 15 de dezembro de 1847, após quase 5 meses no mar.
 

Ele levou emigrantes, comerciantes e engenheiros.


A lista de passageiros pode ser encontrada em:
 

tn_port_adelaide.jpg

Após pesquisa em vários museus (casa de emigração e Museu Marítimo Alemão na enseada de Bremer, Lloyds Register, em Londres e do Museu Focke em Bremen) finalmente os Arquivos de Estado em Bremen estavam em posição de esclarecer o mistério deste navio.
 

Cliente: Joh. Blähsar, Jacobsstadt, Finlândia
Estaleiro: Estaleiro Carlsholms
Lançamento: Julho 1841
1. Nome do navio: "Veloce"
2. Nome do navio: "Hermann von Beckerath"
Contrato de venda para a Alemanha: Em 27 de julho de 1844.
1. Certificação marítima: em 14 de julho de 1847.
Último certificado marítimo: em 16 de setembro de 1850.
Cia de navegação: G. Löhing 's Sohn, Bremen
Proprietário: Wilhelm Haas
Capitão: Hinrich Adolf Kahle, Vegesack
Comprimento: 111 pés = 33,83 m
Largura: 32 pés 3 polegadas = 9,82 m
Calado: 19 pés = 5,79 m.
Tonelagem: 208 “Commerzlasten” de  6,000 libras cada = 624 toneladas

 

Na pintura seguinte (tamanho original 60 x 40 cm, proprietário: Focke Museum, Bremen), podemos identificar claramente o navio "Hermann von Beckerath" pela bandeirola no topo do mastro principal com a inscrição "Hv Beckerath". No topo do mastro há uma bandeira com o número "231", sobre o mastro da” mezana” na altura da carangueja, encontramos a bandeira  do país,  a característica da cidade de Bremen e no topo uma bandeira que não pôde ser identificada, possivelmente, o pavilhão do escritório da companhia de navegação. O navio está sendo operado coma as velas muito reduzidas em uma tempestade em alto mar. Sem definição a vela dianteira superior e a vela principal superior que estava dividida na época. Todas as outras velas tinham sido tiradas. Isto implica um vento de 9 – 10  “Beaufort”. O casco do navio, que foi provavelmente feito de madeira, mostra a pintura característica de porta de canhões, usados anteriormente.  Muito provavelmente o Hv Beckerath foi utilizado como um navio mercante à época e já não equipado com canhões. Quando em relação a imagem um pouco mais perto, não encontramos qualquer pessoa no convés. Isto é incomum, pois os pinturas marítimas daquele período geralmente tentam retratar o navio em suas situações o mais detalhadamente possível. Na pintura, podemos ver mais dois navios, um deles bem perto do "Hermann von Beckerath". Parece ser um “Brigg”, com as velas reduzidas também. No horizonte ainda é possível ver um navio à vela de três mastros. Não está claro se os navios ou um deles estão em uma situação de emergência. Quanto mais próximo dos dois navios, a bandeira parece ser de origem francesa ou holandesa.


Mais detalhes não podem ser identificados. O quadro foi pintado em 1847 por Anton Lowtzow.

tn_hermannvonbeckerath.jpg

Nada se sabe sobre o paradeiro do navio.

 

Está ainda em aberto o porquê do nome “Herman von Beckerath” tenha sido dado ao navio. Nosso ancestral com este nome, banqueiro e ministro das finanças, foi também membro do parlamento do país em 1847. Se esta posição foi suficiente para conceder seu nome ao navio é questionável porque ele tornou-se  Ministro das finanças não antes de 1848.

 

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

Claro, encontra-se o nome de Beckerath em toda a cidade de Krefeld. Não só há uma von-Beckerath-Straße e uma von-Beckerath-Platz, mas também há referências aos nossos ancestrais nos arquivos da cidade, no Museu Kaiser Wilhelm, em livros sobre o dialeto Krefeld e em muitos outros lugares para encontrar .

 

O nome de Beckerath também pode ser encontrado nos menus. Este é também o caso da ementa do restaurante "Nordbahnhof", onde começou o último dia em família.

tn_Speisekarte.jpg tn_Speisekarte_2.jpg